Como evitar que crianças tenham acesso a conteúdo adulto na Internet

Apple anuncia iPad Air, OS X gratuito e atualiza linha de MacBooks
22/10/2013
Lou Reed morre aos 71 anos
27/10/2013

Como evitar que crianças tenham acesso a conteúdo adulto na Internet

Saiba como evitar que crianças tenham acesso a conteúdo adulto na Internet (Foto: Pond5)

Donas de celulares e tablets, as crianças estão cada vez mais conectadas e a nova realidade dos pequenos internautas exige dos pais uma série de cuidados quando o assunto é conteúdo adulto na Internet. Uma das dúvidas é sobre como evitar que crianças tenham acesso a links com vídeos, fotos e outros artigos com apelo sexual, violento e até ilegal.

Nesse caso, a supervisão por parte dos pais pode ajudar a preservar as crianças. Ativar o “modo de segurança” em navegadores, computadores e celulares, contribui bastante na hora de evitar o encontro dos  com banners comerciais e páginas de web indesejadas.

Algumas dicas dos próprios fabricantes de software e empresas de Internet como Google, Microsoft e Apple podem fazer a diferença na hora de proteger o que os pequenos acessam:

1) Navegadores e busca

Todos os browsers oferecem em suas configurações ferramentas para segurança. No Google Chrome, a página de Preferências oferece o Safe Search (Busca Segura), que elimina das pesquisas todos os conteúdos impróprios. Para isso, basta clicar em “Filtrar Resultados Explícitos.” Ao clicar “Bloquear o Safe Search”, alterações só ocorrem mediante sua senha.

Para indicar que o SafeSearch está bloqueado no navegador, o Google adiciona bolas coloridas à parte superior de todas as páginas de pesquisa. Se as bolas coloridas não estiverem lá, o SafeSearch não está mais bloqueado e resultados adultos podem aparecer.

Como bloquear resultado de buscas com conteúdo adulto com o Safe Search (Foto: Reprodução/Google)Como bloquear resultado de buscas com conteúdo adulto com o Safe Search (Foto: Reprodução/Google)

O Safari, no Mac OS X, oferece uma mensagem de aviso quando o navegador vai para uma página “suspeita”. Quem deseja ter esta configuração de segurança precisa ir ao “Menu Preferências – Segurança” e selecionar a opção “Avise antes de entrar em um site Suspeito”. No Mac OS, também é possível criar uma nova conta de usuário com bloqueios de acesso.

O Mozilla Firefox criou uma página chamada “Controle dos Pais” que é específica para segurança das crianças. Lá existem opções diversas para limitar o conteúdo de acordo com o critério dos pais. Isso incluir páginas adultas, com imagens violentas e artigos não adequados.

O Internet Explorer, da Microsoft, também possui uma página dedicada ao conteúdo. Basta logar uma conta Microsoft e alterar perfis em “Configurações – Filtragem de Sites”. Selecione “Ativar Filtragem de Sites” e, no “Aviso de Conteúdo Adulto”, escolha as opções de aviso para proibir o acesso dos pequenos a sites adultos. É possível também criar listas de proibições.

Filtro de resultados com conteúdo adulto no Bing, da Microsoft (Foto: Reprodução/Microsoft)Filtro de resultados com conteúdo adulto no Bing, da Microsoft (Foto: Reprodução/Microsoft)

No Bing, buscador padrão no Windows, basta clicar no ícone de engrenagem (configurações e adicionar o filtro “restrito” para proibir textos, imagens e vídeos adultos nos seus resultados.

2) Youtube

Com a dinâmica das publicações de vídeos e o aumento do números de usuários, é praticamente impossível o Youtube verificar rapidamente um vídeo inadequado. De fato, as denúncias recebidas por usuários ajudam, mas não resolvem o problema. Embora a Política de Publicação do Youtube diga que pornografia não é permitida, a dica para o evitar este tipo de conteúdo é selecionar e ativar o botão de segurança, localizado no rodapé do próprio site.

Filtro de segurança do Youtube pode ser ativado na última linha do site (Foto: Reprodução/Google)Filtro de segurança do Youtube pode ser ativado na última linha do site de vídeos (Foto: Reprodução/Google)

Segundo o próprio Youtube, do Google, o sistema precisa de interação dos usúarios para funcionar de forma eficaz: “O Modo de segurança oculta vídeos que contenham conteúdo impróprio denunciados por usuários e outros sinais. Nenhum filtro é 100% preciso, mas este impede a visualização dos conteúdos mais impróprios”, afirma a rede de vídeos online.

3) Dispositivos Móveis; celulares e tablets

A mobilidade também é um grande desafio para os pais, já que o acesso a rede fica mais fácil e, muitas vezes, ilimitado. A maioria dos dispositivos possui uma ativação do Safe Search em buscadores como o Google, por exemplo. Para isso, basta clicar em “Filtrar Resultados Explícitos”. No site mobi e aplicativo do Youtube, também é possível ativar modo Segurança.

Dica: como Configurar um iPad para Crianças?

4) Cuidado com Dados Pessoais 

Esse é um dos grande perigos da Internet e deve ser levado a sério pelos pais. Muitas vezes as crianças compartilham, por ingenuidade, dados importantes com amigos e às vezes até com desconhecidos. Cuidar das informações pessoais publicadas por elas é fundamental.

A orientação de "Não falar com estranhos" também serve para a internet (Foto: Connect Safely)A orientação de “Não falar com estranhos” também serve para a Internet (Foto: Reprodução/Connect Safely)

Por tal motivo, é imprescindível orientar e conversar frequentemente com as crianças sobre os limites na Internet. Algumas dicas podem ser preciosas para garantir uma boa navegação.

Não compartilhar informações pessoais: É comum crianças e adolescentes compartilharem dados como endereços e até escola onde estudam. No entanto, o risco dessa prática é que alguma informação possa ser usada de forma maliciosa por um terceiro.

Cuidado com fotos e vídeos na Internet: A facilidade de compartilhamento de fotos e vídeos trouxe um grande risco no uso de mensagens e chat online. É sempre bom orientar sobre que tipo de conteúdo está sendo compartilhado com outras pessoas na rede.

Não interagir com desconhecidos: Oriente bem sobre aceitar amizades de desconhecidos. É importante também limitar o tempo e adequar os horários que coincidam com a supervisão dos pais. Assim, a antiga dica de “Não fale com estranhos”, continua servindo na rede.

A melhor ferramenta é acompanhar de perto

A Internet é uma porta aberta para o mundo, e isso impacta no modo com o qual as crianças usam a rede. É sempre bom ficar atento sobre quais sites eles costumam acessar, visitar o histórico dos navegadores, e ver qual conteúdo eles consomem e o que pode estar acessível.

O Google, por exemplo, possui ações eficientes na comunicação com os pais sobre como agir diante desses cuidados. A página “É Bom Saber” é dedicada exclusivamente à protecão online e oferece uma orientação completa sobre a navegação segura de todas as idades.

Embora muitas ferramentas estejam disponíveis, a melhor forma de evitar que uma criança tenha acesso a um conteúdo considerado impróprio, violento, sexual e abusivo é acompanhar de perto a navegação deles e falar abertamente sobre os riscos possíveis na Internet. Nesse assunto, toda orientação e cuidado é pouco para que os “pequenos” fiquem seguros e online.

Dúvidas sobre tecnologia? Pergunte no Fórum TechTudo.

Fonte: http://www.techtudo.com.br/

Rodrigo Luis Afonso
Rodrigo Luis Afonso
Já fui de tudo um pouco, mas atualmente prefiro ser apenas eu mesmo.

Deixe seu comentário abaixo: