“Não Tenho Tempo” e Outras Desculpas que os Gestores Dão p/ Não Oferecer Coaching

Leia isso se sua empresa não permite acesso às redes sociais no trabalho
06/06/2011
Você tem experiência?
08/06/2011

“Não Tenho Tempo” e Outras Desculpas que os Gestores Dão p/ Não Oferecer Coaching

coaching3

Hoje em dia você teria sérias dificuldades para encontrar um líder que não saiba que grande parte do seu trabalho é dar coaching aos seus funcionários. Também não é difícil encontrar evidências de que as empresas com culturas de liderança mais sólidas são aquelas que desenvolvem as pessoas em todos os níveis.

E mesmo assim você não precisa olhar muito longe para achar gestores que ignoram essa parte vital de sua descrição de cargo. Por quê? Porque a cultura na qual operam  não insiste nessa questão e, cá entre nós, muitos gestores também consideram a tarefa desconfortável.  Só de pensar em falar cara a cara com um funcionário sobre como ele está indo e o que poderia estar fazendo melhor, já os deixa inquietos. Então eles criam racionais para não dar coaching algum.

Vejam vocês a seguir as desculpas mais comuns que já escutei e o que posso dizer sobre as mesmas.

1. “Não gosto de criar intimidade com meus funcionários.”

Realidade: Coaching é uma conversa. Ela está centrada em como o funcionário está se saindo no ambiente de trabalho. Não há necessidade de se envolver na vida pessoal do funcionário. O foco deve ser o que está rolando no local de trabalho.

2. “Sou um gerente, não um terapeuta.”

Realidade: Coaching não é terapia. Questões comportamentais que afetam o desempenho são uma preocupação do gestor, mas não é o seu papel resolvê-las. Você deve coordenar com o apoio do departamento de RH como encontrar um coach executivo externo ou, se for o caso, um terapeuta licenciado, oferecendo assim a devida assistência. Agora, se o comportamento está afetando outros funcionários, você tem a obrigação de intervir e garantir a segurança e o bem-estar dos seus subordinados diretos.

3. “Não tenho tempo para isso.”

Realidade: Seu trabalho é assegurar que o que deve ser feito seja feito dentro do cronograma e do orçamento. Como é que isso vai acontecer se não dedicar tempo para encontrar e desenvolver as pessoas certas para as tarefas a serem realizadas?

4. “Não gosto de me debruçar sobre aspectos negativos.

Realidade: Sempre e quando ouço esta desculpa, pergunto: “Quanto tempo você pode carregar nas costas uma pessoa que não está fazendo o seu trabalho?” Aqueles que performam abaixo da média drenam tempo e recursos e toda a equipe acaba pagando o pato.

5. “Não quero que meus funcionários se sintam excessivamente seguros em relação ao trabalho.”

Realidade: Entrevistas realizadas na saída revelam que os funcionários frequentemente abandonam suas funções porque têm a impressão – muitas vezes errônea – de que são subvalorizados. Na medida em que as necessidades de remuneração são atendidas, o motivo pela qual sua equipe dá duro é por reconhecimento. O coaching é uma das formas de oferecê-lo.

Em suma. É importante para as empresas endereçarem as razões pelas quais as pessoas não dão coaching. Somente quando as organizações tratarem o coaching como uma prioridade elas criarão uma cultura no qual o coaching não é algo que os gestores devem fazer, mas algo que eles fazem.

À próposito, que outras razões você já deu – ou ouviu que outros deram – para não oferecer coaching em sua empresa?

FONTE

Rodrigo Luis Afonso
Rodrigo Luis Afonso
Já fui de tudo um pouco, mas atualmente prefiro ser apenas eu mesmo.

Deixe seu comentário abaixo: