‘Pokémon Go’: veja respostas às principais perguntas sobre o game

14 erros de linguagem corporal que fazem as pessoas desconfiarem de você
07/07/2016
Você não sabe, mas seu dia já tem 32 horas
20/07/2016

Achei importante compartilhar isso com vocês. Obrigado, de nada.

Lançado de surpresa para smartphones no último dia 5, e disponível apenas nos EUA, na Austrália e na Nova Zelândia, “Pokémon Go” se tornou rapidamente um fenômeno. Mais popular que o Tinder e mais utilizado que o Whatsapp ou o Instagram entre os americanos, o game já provocou um aumento de bilhões de dólares nas ações da Nintendo, uma das responsáveis pelo projeto. (Via G1)

'POKÉMON GO' Game de celulares vira fenômeno

‘POKÉMON GO’ Game de celulares vira fenômeno

Tamanho sucesso não acontece sem alguns problemas ou tropeços. Nos Estados Unidos, algumas pessoas foram assaltadas por umgrupo que usava o aplicativo para atrair vítimas a lugares desertos. Em Cingapura,um homem foi demitido após criticar o país por ainda ter acesso ao jogo.

O game de realidade aumentada ainda é alvo de críticas em relação a seu contrato de privacidade, ao desempenho de seus servidores e à demora para chegar no Brasil — a previsão de lançamento no país no final de julho provavelmente não deve se concretizar.

Para entender melhor o fenômeno que o jogo tem representado, o G1 responde às principais perguntas relacionadas a “Pokémon Go”.

O que é?
“Pokémon Go” é um game gratuito de realidade aumentada para smartphones Android e iOS. O jogo utiliza o sistema de GPS dos aparelhos para fazer com os jogadores se desloquem fisicamente para conseguir capturar os monstrinhos da franquia da Nintendo.

O que é realidade aumentada?
Não confunda com realidade virtual. A realidade aumentada é um tipo de mídia que mistura o mundo real com elementos criados virtualmente. No caso de “Pokémon Go”, o jogador visualiza seus arredores na tela do celular capturados pela câmera, e o aplicativo insere os pokémons nesses lugares.

O jogo de realidade aumentada 'Pokemon Go' é visto na tela de um smartphone em foto ilustrativa tirada em Palm Springs, na Califórnia, EUA (Foto: Sam Mircovich/Reuters)

O jogo de realidade aumentada ‘Pokemon Go’ é visto na tela de um smartphone em foto ilustrativa tirada em Palm Springs, na Califórnia, EUA (Foto: Sam Mircovich/Reuters)

Marido posta foto 'caçando' Pokémon enquanto mulher espera para ter bebê (Foto: Reprodução/Reddit)

Marido posta foto ‘caçando’ Pokémon enquanto mulher espera para ter bebê (Foto: Reprodução/Reddit)

Por que eu não consigo jogar no Brasil?
Originalmente, o game tinha lançamento previsto para o final de julho, sem data específica. Sua desenvolvedora, a Niantic, Inc., surpreendeu ao disponibilizar o jogo no última dia 5 na Austrália, e parece liberá-lo gradualmente ao redor do mundo. Por enquanto, apenas Nova Zelândia e Estados Unidos também receberam. É possível baixar o aplicativo para Android em alguns sites alternativos, mas o jogo ainda não funciona completamente.

Por que a chegada do jogo foi adiada?
Quem estava achando ruim o lançamento no final do mês pode ficar ainda mais decepcionado. “Pokémon Go” foi vítima de seu próprio sucesso, atraindo um número de jogadores muito acima da expectativa da Niantic, Inc., e por isso tem enfrentado problemas com seus servidores, que não conseguem abrigar todo mundo. A empresa já anunciou que trabalha para resolver os problemas, mas que provavelmente terá de adiar o lançamento pelo resto do mundo.

Por que tem gente falando que é invasivo?
Para se cadastrar e utilizar o game, é necessário concordar com o contrato de privacidade oferecido pela desenvolvedora. Muitos usuários, no entanto, afirmam que os termos no texto abrem possibilidade para que a empresa tenha acesso a contas inteiras no Google, desde e-mail ao editor de textos e outros aplicativos. O aplicativo ainda registra as localizações do jogador ao longo do tempo, além verificar qual o último site foi visitado.

Por que já causou “acidentes” nos EUA?
Ao utilizar a realidade aumentada, “Pokémon Go” obriga jogadores a saírem de casa para capturar novos monstros, atingir certos objetivos e conseguir certos itens. E pode ser difícil prestar atenção no que acontece ao redor enquanto se concentra na tela do celular. Um grupo de jovens nos EUA até utilizou o aplicativo para monitorar o movimento de jogadores e assaltá-los. Diversos jogadores relataram que se machucaram ao tropeçar enquanto estavam distraídos.

Por que “Pokémon” é um fenômeno há 20 anos?
A série de games no qual o jogador controla um treinador de pequenos monstros que os utiliza em batalhas foi lançada para o console portátil da Nintendo, o Game Boy, em 1996. ao unir elementos de RPG em turnos, monstros bonitinhos e cheios de personalidade, as duas versões do primeiro game, “Red” e “Blue”, foram um grande sucesso. 20 anos depois, a série  vendeu mais de 200 milhões de cópias com seus quase 60 games, além de gerar um jogo de cartas, uma série de desenhos animados e 19 longas de animação.

Por que as ações da Nintendo subiram tanto?
“Pokémon Go” foi criado pela Niantic, uma cisão do Google no ano passado, e pela Pokemon Company. A Nintendo detém um terço da Pokemon Company e tem participações não reveladas na Niantic, que já desenvolveu um jogo similar de realidade aumentada em 2012.

O jogo de realidade aumentada 'Pokemon Go' é visto na tela de um smartphone em foto ilustrativa tirada em Palm Springs, na Califórnia, EUA (Foto: Sam Mircovich/Reuters)

O jogo de realidade aumentada ‘Pokemon Go’ é visto na tela de um smartphone em foto ilustrativa tirada em Palm Springs, na Califórnia, EUA (Foto: Sam Mircovich/Reuters)